terça-feira, 21 de novembro de 2017

A natureza e a bruxaria.

Uma visão inicial.

Na natureza tudo se transforma, e nós somos um reflexo dela, ao menos deveríamos ser.
No caminho da bruxaria tudo gira ao redor da natureza, estações, luas, quatro elementos, ciclos, etc.
Muito é falado na bruxaria, e outros, sobre ciclos, transformações, morte e renascimento, renovação após destruição, porque? Isso parece trazer uma conotação pesada, mas só parece. Os ciclos e referências a morte e renascimento está presente em todas as culturas e em toda a vida, em diversos aspectos: natureza, psicológico, corpo, vida material, caminho espiritual...

No cristianismo, aprendemos a temer e renegar todas as coisas que soam essa conotação de "ser algo não bom", nós tememos o desconhecidos e jogamos pra baixo do tapete e julgamos como mau tudo que fuja do confortável, tudo que nos tire da zona de conforto. Falamos dos defeitos dos outros mas renegamos e escondemos os nossos, de nós mesmos e das pessoas, e a bruxaria, a natureza, os ciclos, e tudo que existe é o todo, é o conjunto de reconhecer o que ainda serve: filosofias,  coisas materiais, modo de vida, sombras até perceber-se que aquilo não serve mais e transformar no que serve, através de uma destruição, para acontecer uma renovação. É assim com as estações do ano na natureza, com as plantas, os animais, o solo, as pessoas em suas vidas, em seus relacionamentos, e em seus caminhos.
Nós aprendemos desde criança a julgar e repudiar tudo que fuja da misericórdia do deus cristão, como algo mau, impuro e sujo. E por isso, inicialmente as pessoas se sentem desconfortável ao falar desses temas: lidar com nossas sombras, morte-renascimento, alguns Deuses negros, representados por imagens não tão fofinhas e outras infinidade de coisas. Nossas sombras são tudo aquilo em nós que não sabemos lidar, que escondemos: os sentimentos, os segredos, os pensamentos, os preconceitos. Morte e renascimento é renascer em algum aspecto da vida após a finalização de um ciclo. Os Deuses negros são Deuses que tem como característica principal morte-renascimento, ou algum outro aspecto desses que nós negamos a nós mesmos mas temos de sobra, e esses Deuses podem nos ajudar a lidar com isso.
Entendendo esses conceitos, fica mais fácil de entender uma frase que sempre é falada: Não existe bem e mal, somos feitos de luz e sombras em um completo equilíbrio.

A Bruxaria tem muitas visões de pessoa para pessoa, tradição, linha, mas pra mim algumas coisas predominam: A transformação e a busca de se tornar um desperto, assim como a natureza de forma geral, existe uma consciência em tudo que é vivo e um ciclo. A bruxaria é liberdade, é celebração, são os ciclos, é o prazer, amor, autoconhecimento, é o sagrado feminino, o sagrado masculino, o sagrado do seu corpo, é a fertilidade dos animais, da terra, é a complexidade de aprofundar em si mesmo para moldar-se, é a capacidade de criar energia, fazer acontecer de dentro pra fora. É olhar tudo em seu total aspecto, sem negar, sem esconder, é sentir a natureza e aceitar seus instintos mais selvagens. Seguir esse caminho, é aceitar ser instrumento dos Deuses, e aceitar ser moldado, é descobrir o sagrado em tudo que vivemos e aprender com tudo que passamos, é ser moldado para moldar a realidade ao nosso redor.

Qualquer árvore que queira tocar os céus precisa ter raízes tão profundas a ponto de tocar os infernos.
Carl Jung.





"Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma."
Lavosier

Somos natureza!





Marcela Campos
Bast



sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Autoconhecimento.

Autoconhecimento
Tansmutação
Gratidão
Purificação.





Eu moldo a minha energia me conhecendo,
e vou me questionando através da magia.
Desafiando o caos compreendi,
que todos os sentimentos, da dor ao amor, são necessários para evoluir.
Busquei a mim mesmo e fui atrás do que me tocava a alma.
Encontrei um caminho cheio de espinhos,
tão necessários para a mais doce calma.
Fiz da minha busca um alento, pois quanto mais me conhecia, mais compreendia a pureza dos ventos.
Parei de me desesperar, porque por mais que as vezes meus sentimentos poderiam doer,
eu sabia que cada coisa tinha um porquê.
Descobri que podemos até fazer planos, mas o Universo pode bagunça-los para te intuir:
Você é capaz de passar pelos obstáculos e as mudanças permitir.
Só quem pode lhe limitar é você mesmo, porque você sabe o poder que tem, quando para de temê-lo.

Marcela Campos
Bast





segunda-feira, 3 de julho de 2017

O que as pessoas sentem medo e não percebem: é que o caos nos carrega de poder.





Sabe quando você é desafiado pelo seu próprio caminho? Não que você esteja completamente perdido nele, pelo contrário, você tem noção de toda a teoria, de todas as leis energéticas que envolvem suas ações, consequências e pensamentos, mas você se vê desafiado pelo Universo testando o quão profundo são suas ideologias e suas forças (?). Respirar e compreender o caos completando-se como yin-yang é o que há. Afinal, como todos sabem e como eu sempre repito: Somos feitos de luz e sombras, mesmo quando tudo parece um borrão, estamos no equilíbrio ou no desequilíbrio que deveríamos estar! Apesar de não poder controlar coisas que gostaríamos de controlar, de ter, ser e estar coisas que gostaríamos mas não podemos agora, apesar de qualquer coisa que nos frustre, eu não consigo deixar-me levar totalmente pelo desequilíbrio e pelo desespero, porque uma vez entendido a transparência, a necessidade, a importância e o quão constante o caos é em nossas vida, eu só paro, observo, espero passar, tento entender e senti-lo totalmente, tirando todo o aprendizado que eu puder. Afinal, eu também sou caos, eu também faço parte dele. Nem sempre eu consigo, mas todas as vezes eu tento, e de uma forma ou de outra, eu tiro algum aprendizado nisso, eu quero entender os porquês e o significado das coisas que nos cercam, não por ninguém, ou qualquer outro motivo que envolva outras pessoas, mas por mim! O meu anseio de aproveitar cada oportunidade dessa vida, de viver cada sentimento que vier em meu caminho, cada prazer, cada sofrimento, frustração, amor, felicidade, caos, eu quero sentir todos e entender a sublimidade de cada coisa nessa vida! E eu acho que esse é um dos sentidos de se estar aqui, pra experimentar, pra sentir e pra viver tudo que se apresentar.

Não me encaixo na linha good vibes, nem tão pouco a feliz, ou a controlada, pelo contrário. Eu busco por explicações, entendimentos energéticos, terapias holísticas, ocultismo, bruxaria, porque eu preciso me compreender, preciso curar coisas em mim, me conhecer e entender a realidade ao meu redor, em todos os níveis, e a bruxaria, é um excelente caminho pra isso, não só te instiga a estudar e trabalhar autoconhecimento e as suas sombras como te obriga a fazer isso se você se permitir conhecer esse caminho e experimentar sem medo as maravilhas do ocultismo. Eu só quero sentir e aprender, quero me expressar, quero ser eu mesma e cometer todos os acertos, erros, se é que podem chamar assim e definir algo como bom ou mal.

O que as pessoas sentem medo e não percebem: é que o caos nos carrega de poder.





Desperte-se

Bast






sexta-feira, 30 de junho de 2017

Lua Crescete



Lua que cresce
Que faz brotar
Toda energia que eu criei no Luar
Venha e faça crescer, minhas esperanças
E minha magia que está a tecer
Venha e dê força
A harmonia que da minha mente ecoa
Eu desejo, eu quero e eu posso
Moldar toda energia a minha volta.

Bast

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Ini(versos)








Mais um ciclo estamos vivendo. Mais uma oportunidade de se libertar das nossas próprias limitações, de aceitar nossas crises e saber que saímos melhor e mais fortes delas. De nos permitir, e olhar para o nosso interior sem medo, sem vergonha, sem amarras do que nós somos. A nossa vida na terra parece ser tão longa... Semana após semana, mês após mês, ano após ano. Esse passar do tempo nesse mundo, onde estamos dentro e cercados do material, que nos é imposto: padrões, egos, preconceitos, pré conceitos estabelecidos e incrustado na nossa cultura, geração após geração, onde somos obrigados a viver do modo convencional, ou viver sendo sendo desafiados por ignorâncias e limitações de outras pessoas. Podemos enxergar essa "egrégora" de manipulação que vivemos como um chamado: Sempre vamos sofrer em alguma circunstância pela limitação do outro. Então não deixe a limitação de outra pessoa interferir na sua vida, independente em que aspecto. Não deixe de viver sua religião, sua arte, sua sexualidade, seus princípios, sua personalidade pela ignorância da mente fechada das pessoas!
Não deixe de ser você em algum aspecto, por medo de desagradar alguém: Ninguém vai fazer isso por você, e se você não viver o seu eu, ninguém mais vai viver por você, e a sua trajetória nesse mundo onde estamos de passagem, só mostrará que você foi amedrontado por limitação e ignorância alheias! Honre o sagrado que você carrega, somos Uni(versos), carregamos um mundo inteiro dentro de nós.


Bast






quarta-feira, 29 de março de 2017

Lua nova



Lua nova que renova!
Venha e faça renascer
Toda magia que estou a tecer
Venha! E tece o fio
Da magia
Da cura
Da continuação do ciclo.

Bast

sexta-feira, 17 de março de 2017

O desejo de mudança existe! Só nos falta firmeza.
Os mesmos olhos que contemplam devocionalmente o sol, a lua e as estrelas pedindo sabedoria, se perde no emaranhado novelo de informações que são empurradas brutalmente o tempo todo guela a baixo. Decidir é apenas mais uma palavra sem sentido se não desperta ações.
O que é a verdade?
No fundo sabemos, mas somos frágeis demais para caminhar sem nossas máscaras e muletas. Preferimos assim, nos enganar o tempo todo, brincar com o que acreditamos nos dando o "privilégio" de uma liberdade presa no sistema e suas artimanhas, e esquecemos de quem somos de fato, e que liberdade é o estado de espírito contínuo que cultivo em minhas próprias memórias, traduzidas pelas experiências.
Até onde vamos nos sujando? Vale a pena se render tanto as muletas que as mídias, as pessoas, modismos e padrões nos submetem?
Em tempos gélidos como o que estamos vivendo, é preciso vigiar a pequena centelha do espírito que insiste em queimar e manter a centelha acesa, antes que esqueçamos de nossa essência e verdadeira natureza, a alma.

Ruan Sena