sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Hino Hórfico para Vênus







Celestial, ilustre, Rainha do riso amoroso,
Nascida do mar, amante noturna,
de um semblante terrível;
Astuta, de quem a necessidade veio primeiro,
Produtora, Noturna, Dama toda onisciente:
É teu o mundo com harmonia para se unir,
Pois todas as coisas nascem de ti, ó Poder Divino.
Os Destinos triplos são governados pelo teu decreto,
E todos os rendimentos das produções são iguais a ti:
Quaisquer que sejam os céus, cercando a tudo contêm,
Terra produtora de frutos, e a principal tempestuosa,
Tua influência confessa e obedece ao Teu aceno,
Terrível assistente do Deus Brumal:
Deusa do casamento, encantadora para a visão
Mãe dos Amores, cujos banquetes deleitam;
Fonte de persuasão, secreta, Rainha favorecida,
Ilustre nascida, aparente e invisível:
Conjugal, Lupercal, e aos homens inclinada,
Prolífica, mais desejada, que dá vida, Amável:
Grande portadora do cetro dos Deuses, ele é Teu,
Os mortais em bandos necessários para unir-se;
E todas as tribos de selvagens monstros terríveis
Nas correntes mágicas para atar, através do louco desejo.
Venha, Nascida em Chipre, e para minha oração se incline,
Se exaltada nos céus você brilha,
Ou agradada no templo da Síria presides,
Ou acima das planícies egípcias Teu carro guias,
Coberto de ouro, e próximo de sua inundação sagrada,
Fértil e famosa para corrigir a tua morada abençoada;
Ou se regozijando-se nas margens azuis,
Perto de onde o mar com espumas e vagas onduladas rugem,
Os coros circulares dos mortais, Teu deleite,
Ou ninfas belas, com olhos cerúleos brilhantes,
Agradadas pelos bancos empoeirados e renomados de outrora,
Para conduzir rápido, dois carros unidos de ouro;
Ou se no Chipre com o afeto de Tua mãe,
Onde as mulheres casadas louvam-te a cada ano,
E virgens lindas a se unir ao coro,
Adônis puro para cantar a ti Divina;
Venha, toda atrativa à minha oração inclinada,
Por ti, eu chamo, com mente santa, reverente.

 Tradução: Leonard Dewar
 Imagem: Birth of Venus (detail) by Sandro Botticelli, 1486.



 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Magia é p'ra poucos



Falar sobre autoconhecimento, sobre sombras, sobre lidar com as energias e manipula-la é muito fácil, difícil mesmo é na prática.
A magia está presente sim, em todos nós, em tudo, se somos capazes de lidar com ela, que é a questão. Feitiços, amarrações, ego, motivos de muitos entrar em contato com a magia e com a bruxaria, mas, ao se depararem com sua complexidade, muitos se afastam. A bruxaria é um caminho iniciático que trás diversos processos interiores. Ao iniciar o desenvolvimento de percepção energética (necessária para qualquer feitio relacionado a magia), o iniciante se depara com sua própria energia. E para praticar magia e faze-la acontecer, é necessário saber, entender e manipular como você direciona as vontades, emoções e ações. Um aspecto tem que estar em harmonia com o outro para um objetivo mágico se fazer realizar através de uma magia. É aí que começamos a buscar a nós mesmos e enxergar a importância de se conhecer, de se compreender e de saber como você direciona a energia presente em você mesmo. Começamos a entender que o mundo não gira em torno de nós mesmo e essa existência é muito mais complexa do que nossos egos, quereres, desejos e vontades.


"Conhece-te a ti mesmo e conhecerás todo o Universo e os Deuses, porque se o que procuras não achares primeiro dentro de ti mesmo, não acharás em lugar algum."


Bast
 

Impulsividade


Impulse a minha vontade que pulsa
Para onde e até você aguentar
Depois deixe-me livre
Porque não agora, se a vida só está a passar?
Meus pulmões sopram:
Imediatismo
Cada parte do meu corpo deseja viver.
Consequências
Que sejam melhores do que o arrependimento, de uma alma intensa, que só está a crescer.

Porque negar a si mesmo? Afinal,
"Faz o que tu queres, há de ser tudo da lei."

Se conhecer, faz parte de buscar a si!
Se nega ao pecado, ou a você mesmo?
Afinal, "pecado é não viver a vida."
Somos todos im(pulsos).


Marcela Campos
Bast

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

(Re)Nascer

"Nas estrelas que nascem no escuro do céu
Eu encontro minha paz
A ideia de paraíso infinito que não existe
Compõe minha esperança momentânea
Que nasce e que morre
Como tudo que existe
Mas renasce
Como o sol, que nos dá a luz e se esconde para ensinar
Que para existir a luz e a paz
Um escuro sombrio precisa reinar."




Marcela Campos
- Bast -  
Caminho das bruxas